Vacinômetro

Vacinação Contra COVID-19

SARS-CoV-2

0
TOTAL DE DOSES APLICADAS
0
1ª DOSE

MUNÍCIPES VACINADOS

0
2ª DOSE

MUNÍCIPES VACINADOS

0
DOSE ÚNICA

MUNÍCIPES VACINADOS

0
TOTAL DE MUNÍCIPES IMUNIZADOS

(1ª DOSE + 2ª DOSE  E DOSE ÚNICA)

0
PESSOAS JÁ VACINADAS AGUARDANDO SEGUNDA DOSE

TOTAL DE DOSES RECEBIDAS

(PARA 1ª DOSE ,2ª DOSE E DOSE ÚNICA )

0
DOSES

COBERTURA EM REALAÇÃO AO NÚMERO DE HABITANTES

 
COBERTURA PRIMEIRA DOSE
Primeira Dose 67%
COBERTURA SEGUNDA DOSE
Segunda Dose e Dose única 37%

COBERTURA EM RELAÇÃO À POPULAÇÃO ADULTA 18+

 
COBERTURA PRIMEIRA DOSE
Primeira Dose 86%
COBERTURA SEGUNDA DOSE
Segunda Dose e Dose única 47%

Fonte: salas de vacinação da S.M.S. de Monte Santo de Minas e www.vacinaminas.mg.gov.br. Consulta realizada em 27/09/2021 às 16:00h
* Dados sujeito a alteração

 

Perguntas Mais Frequentes – FAQ

11. QUANTAS DOSES PRECISAM PARA A IMUNIZAÇÃO?

2 doses ou Dose Única.

22. QUANTAS DOSES JÁ RECEBEMOS?

26292

33. QUANTOS MUNÍCIPES JÁ ESTÃO IMUNIZADOS COM 1º e 2º DOSES?

Até o momento 8110 munícipes.

44. QUANTOS MUNÍCIPES TOMARAM APENAS A PRIMEIRA DOSE?

Até o momento 7617 munícipes aguardando segunda dose.

55. QUAL INTERVALO ENTRE AS DOSES?

Coronavac/BUTANTAN intervalo - 15 Dias

Vacina AztraZeneca/FIOCRUZ intervalo - 12 semanas (3 meses)

Pfizer Manuafcturing Belgium - 12 semanas (3 meses)

66. QUAIS OS CRITÉRIOS UTILIZADOS PARA DEFINIÇÃO DOS GRUPOS PRIORITÁRIOS?

De acordo com o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, do Ministério da Saúde, os critérios utilizados foram: preservação do funcionamento dos serviços de Saúde e proteção dos indivíduos com maior risco de desenvolvimento de formas graves e óbitos, seguidos da preservação do funcionamento dos serviços essenciais e da proteção dos indivíduos com maior risco de infecção.

77. QUAIS SERÃO OS GRUPOS A SEREM VACINADOS?

88. EM QUAL GRUPO ESTAMOS?

99. QUAL A DIFERENÇA ENTRE A VACINA CORONAVAC E A ASTRAZENECA?

A vacina CoronaVac foi criada por meio de uma tecnologia molecular já muito utilizada em outros imunizantes. Assim como nas vacinas da gripe, poliomielite, hepatite e da meningite, ela é composta por vírus inativado, ou popularmente como “vírus morto”. As partes do novo Coronavírus presentes na vacina são apenas aquelas que permitem o reconhecimento do vírus pelo nosso sistema imune e não pela sua parte responsável por causar a doença. Assim, a produção do imunizante consiste em inativar o Coronavírus, de maneira que fique incapaz de transmitir a doença, pois torna-se incapaz de infectar as células humanas. Assim que a vacina for aplicada, células de defesa do nosso organismo encontram e respondem a essas partes do Coronavírus, dando início à produção de anticorpos.

 

Já a vacina AstraZeneca utiliza uma tecnologia biomolecular baseada no chamado “vetor viral”, que consiste na utilização de um vírus modificado para estimular o sistema imunológico na fabricação de anticorpos. Na fabricação da vacina, uma espécie de vírus enfraquecido (adenovírus ChAdOx1), conhecido por causar gripe comum em chimpanzés, após ser modificado para não se multiplicar, carrega parte do material genético do SARS-CoV-2 responsável pela produção de uma proteína (“Spike”) que auxilia o vírus da COVID-19 a invadir as células humanas. Assim, após a vacinação adequada, o adenovírus começa a produzir essa proteína Spike, ensinando o sistema imunológico que toda partícula com essa proteína deve ser destruída.

AGUARDE A VEZ DO SEU GRUPO PARA PROCURAR O POSTO DE VACINAÇÃO.

Para saber mais sobre o Plano Nacional de Vacinação, baixe o PDF.

Portal da Transparência
Tamanho da Fonte
Contraste